top of page

A importância das Universidades Públicas paulistas para o avanço científico no combate ao COVID-19




Vivemos um momento de fragilidade em todo o mundo. O COVID-19, novo vírus descoberto, tem feito muitas vítimas por onde tem passado, levando vários governos a implementar medidas contra o alastramento desse vírus, como a quarentena. Mediante a esse cenário, o Sistema Único de Saúde ocupa um papel muito importante na sociedade salvando a vida de muitos brasileiros e fortalecendo o combate contra a contaminação em massa dessa gripe.

O Hospital Universitário da Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP tem desenvolvido grandes campanhas de vacinação contra gripe gratuitas, além de desenvolver com os estudantes de graduação e pós graduação, pesquisas científicas relacionadas ao COVID-19.

Essas são medidas essenciais para a população, principalmente para a população que se encontra no grupo de risco (idosos e portadores de doenças crônicas). Devemos defender que esses lugares continuem recebendo recursos do governo, pois muitas famílias brasileiras dependem do funcionamento desses hospitais, pois além da pandemia no qual estamos vivendo, muitas famílias já enfrentavam, antes do isolamento, situações de fragilidade com a saúde. Cortar recursos públicos das universidades e principalmente dos hospitais universitários que atendem uma grande parcela da população, é dizer que o povo pobre pode continuar morrendo, mas isso nós não aceitaremos calados.

A necessidade de doar sangue


O Hospital São Paulo teve uma queda de 70% em suas doações de sangue, fazendo com que os bancos de sangue estejam atuando com 40% de sua carga total. Nesse sentido, é muito importante reforçar a campanha de doar sangue nesse momento. É possível agendar a doação de sangue para que se evite aglomerações.

Os bancos de sangue são responsáveis de salvar a vida de muitas pessoas, além de permitir que os médicos continuem exercendo o seu trabalho de atender à população normalmente.

Por tanto, reforçamos o chamado para que as pessoas também agendem hora nos hospitais para doar e sangue e continuar o trabalho dos agentes que têm cumprido um papel muito importante nesse momento delicado no qual vivemos.


O que a pesquisa tem a ver com o COVID-19?


Nesse exato momento, milhares de cientistas pelo mundo estão estudando e pesquisando sobre a melhor forma de se obter uma vacina para o COVID-19. Os cientistas brasileiros também se encontram nessa luta e nesse sentido, vale lembrar que mais de 90% da ciência brasileira está dentro das universidades públicas. Bolsonaro, Weintraub e sua trupe de paspalhos insistem em atacar as universidades públicas e a ciência brasileira, ao mesmo tempo em que negam os direitos básicos do povo trabalhador. A verdade é que Bolsonaro, como mais um genocida que se provou em seu último pronunciamento, não está preocupado com a vida do povo, com o desenvolvimento da ciência ou com a vacina para o COVID-19, mas sua preocupação centra em garantir o lucro para os banqueiros, empresários e bilionários que se encontram nesse país.

Por isso devemos fortalecer e defender o desenvolvimento da ciência no nosso país, através das manutenções das bolsas como a CAPES E CNPq, pois, através dessas bolsas, financiamos as pesquisas científicas e seus pesquisadores que trazem o avanço para o desenvolvimento brasileiro.


As Universidades Públicas em defesa da população


O Instituto Federal de São Paulo, também tem tomado muitas medidas para ajudar o povo trabalhador na batalha contra a disseminação do COVID- 19. O IFSP recebeu uma doação de cinco mil álcool anidro, que será transformado em álcool glicerinado 70° e doado aos hospitais universitários e à comunidade. Além disso, o Campus São João da Boa Vista produziu, ainda no fim do mês março, diversas máscaras e protetores faciais que foram doados aos profissionais da Saúde.

Além desses feitos, o Diretório Acadêmico das Licenciaturas - DALC, entidade estudantil que atua dentro do campus São Paulo tem organizado brigadas de solidariedade arrecadando dinheiro para montar cestas básicas às famílias de estudantes que necessitam nesse momento.

As universidades públicas brasileiras cumprem uma missão muito importante para com a humanidade: a missão de avançar sobre a ciência e a pesquisa para que se concretize a descoberta da vacina do COVID-19, além de organizar através das entidades estudantis, as brigadas de solidariedade ao povo trabalhador, arrecadando cestas básicas para ajudar as famílias que o governo insiste em deixar a própria sorte. Por fim, esse é momento de levantar a bandeira da solidariedade e entender a importância do isolamento social como a principal forma e combate ao alastramento desse vírus.





Vit Louise é diretora executiva de assistência estudantil na UEE de São Paulo e Coordenadora geral do DCE UNIFESP

Comments


bottom of page