top of page

Fascismo e ditadura nunca mais!

Prisão para Bolsonaro e seus cúmplices!


“De pé a jovem guarda Sempre na vanguarda ... A nossa mensagem de coragem É que traz um canto de esperança...” - Hino da UNE. Carlos Lyra e Vinicius de Morais.

 

O povo brasileiro comeu o pão que o diabo amassou durante o governo fascista de Bolsonaro.


Durante a pandemia da Covid-19 disse que era “gripezinha”, não comprou vacinas e foi o maior responsável junto com o general Pazuello pela morte de 700 mil brasileiros e o sofrimento de milhões de famílias que perderam pais, irmãos, avós, companheiros e amigos.


A política de morte de Bolsonaro também se revelou no desprezo com os negros e o ódio aos que moram nas periferias e favelas. Aprovou a violência policial contra o povo preto e pobre e os feminicídios cresceram a cada ano.


Nem os povos originários foram poupados da crueldade do fascista. Nada fez para socorrer os Yanomami do garimpo ilegal em suas terras e ainda acobertou os criminosos que mataram o jornalista Dom Philips e o indigenista Bruno Pereira em 2022.


O resultado foi que 600 crianças indígenas morreram e centenas foram diagnosticados com diversas doenças. Um verdadeiro crime contra a Humanidade!


Depois de serem derrotados nas eleições, os fascistas tentaram dar um golpe de Estado no dia 8 de janeiro para impor uma nova ditadura no país. Financiada pelos barões do agronegócio, por banqueiros e grandes empresários, essa tentativa de golpe foi planejada e dirigida pelas Forças Armadas e pela família Bolsonaro, e só foi derrotada graças às manifestações que tomaram as ruas do país no dia seguinte, quando movimentos sociais e milhares de verdadeiros patriotas demonstraram a força popular em defesa da democracia e o repúdio aos vândalos fascistas.


Diante de tantas atrocidades, Bolsonaro merece pagar por cada um dos crimes que cometeu. Lugar de corrupto e de quem quer acabar com as liberdades democráticas é a cadeia. Mas ele não agiu sozinho, seus cúmplices no Centrão, os reis do agronegócio e os generais fascistas também precisam pagar pelo mal que causaram ao povo e à Nação.


O movimento Correnteza defende que a UNE lute pela punição dos golpistas de hoje e dos torturadores e assassinos da ditadura militar. Toda a história da UNE é de luta contra o fascismo e a ditadura. Não é possível aceitar nenhuma omissão da UNE, pois sem enfrentar a violência do passado, sem preservar a memória, revelar a verdade e fazer justiça, as violações dos direitos humanos e um novo golpe fascista continuarão sendo uma ameaça em nosso país.


Por isso, o Movimento Correnteza defende que o 59º CONUNE aprove um dia nacional de luta pela punição de Bolsonaro e seus cúmplices e a palavra de ordem: Fascismo e ditadura militar nunca mais!


Sem conciliação nem perdão, exigimos medidas firmes para impedir que os golpistas continuem conspirando livremente.






Comments


bottom of page