top of page

As palavras convencem, o exemplo arrasta! Conheça o Correnteza, nossas lutas e reivindicações

O Movimento Correnteza é uma organização estudantil que atua em universidades públicas e privadas por todo o Brasil. Na UFF, atualmente, ajudamos a construir alguns Centros e Diretórios Acadêmicos, como também ocupamos cadeiras de representação estudantil no Conselho Universitário (CUV) e no Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPEX). Venha saber mais!


Conheça o Correnteza, movimento que luta por uma educação pública, gratuita e de qualidade. Fotos: Foto: Yasmin Alves (@yasalvesf).


Fundado em 2017, após a junção de uma série de movimentos universitários atuantes em todo o país, o Movimento Correnteza nasce com o objetivo de lutar pela universalização do acesso à educação pública, gratuita e de qualidade. Nosso objetivo é construir um movimento estudantil combativo e consequente, interessado em lutar por melhores condições de ensino para as e os estudantes trabalhadores do Brasil, entendendo o potencial transformador que a educação tem na vida da juventude.


O surgimento do Correnteza se dá a partir de uma necessidade histórica de organização dos estudantes universitários, verdadeiramente comprometidos em impedir a precarização do ensino superior e o avanço do fascismo no Brasil. Desde então, chegamos a construir, nacionalmente, uma forte oposição na União Nacional dos Estudantes (UNE) e, no Rio de Janeiro, na União Estadual dos Estudantes (UEE-RJ). Na UFF, estamos à frente de alguns Centros e Diretórios Acadêmicos, reivindicando a memória de resistência e combatividade de ex-estudantes como Fernando Santa Cruz e Marielle Franco, a fim de construir um movimento estudantil em consonância com os interesses dos estudantes da universidade.


Em azul, lê-se “Conheça es conselheires do correnteza n o CUV e no CEPEX”. Fotografia colorida de Bayron Thadeus, homem branco, com semblante fechado e camiseta azul. Ele é identificado como estudante de história em Niterói e conselheiro suplente no CEPEX. A seguir, há Isabela Moraes, mulher branca, sorridente, que veste camiseta vermelha e usa óculos. Ela é estudante de ciências sociais em Campos dos Goytacazes e titular no CUV. Abaixo dela, vemos João Pedro Santana, jovem negro, também soridente, que veste camiseta azul na qual se lê “Eu defendo a UFF”. É estudante de cinema e audiovisual em Niterói, titular no CUV e membro da diretoria de negros e negras da UEE-RJ. Julio Zibermann é o próximo, um estudante de direito em Macaé, suplente no CUV. Ele usa aparelho nos dentes e aparece sorrindo. Maria Vitória Nobre é a próxima a ser apresentada. Ela é uma mulher branca, que veste camiseta preta e aparece posando com uma das mãos sobre o rosto. É estudante de ciências sociais em Niterói e suplente no CUV. Por fim, há Rayane Mello, uma jovem com longos cabelos cacheados, posando com grande sorriso. Ela é estudante de direito em Macaé, titular no CUV e diretora de políticas públicas na UEE-RJ.

Durante a pandemia, na ausência da atual gestão do Diretório Central dos Estudantes da UFF, através de nossa atuação nas entidades de base, no Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPEX) e no Conselho Universitário (CUV), o Correnteza já foi responsável por assegurar importantes vitórias. Para citar apenas alguns exemplos, estivemos à frente de inúmeras mobilizações contra os cortes nas universidades federais e nas agências de pesquisa e contra o governo Bolsonaro. Também lutamos pelo devido julgamento de casos de violência de gênero ocorridos na UFF e nas cidades onde atuamos. Também fomos nós, através de nossos conselheiros do CUV, que apresentamos propostas para assistência estudantil que vieram a ser implementadas pela universidade durante o ensino remoto.

Tem interesse em saber o que o Movimento Correnteza defende para a educação no Brasil e no estado do Rio de Janeiro? Então dá uma olhada em nossas teses para o Congresso da UNE e para o Congresso da UEE-RJ.


Para a UNE ser de ação, Correnteza na gestão!


 

Coordenação do Movimento Correnteza UFF



Comments


bottom of page