top of page

DCE UFPE faz primeira atividade presencial com calouros e veteranos desde o início da pandemia


DCE Umberto Câmara Neto faz a atividade “Verão no Campus” defendendo a volta presencial dos cursos de graduação da UFPE.
Diretório Central dos Estudantes da UFPE liderando um Tour pelo Campus Recife da Universidade, apresentando aos calouros e aos demais estudantes que participaram da atividade.

15 de março de 2020, esta data marca um dia decisivo na vida dos estudantes da UFPE. Devido ao avanço do novo coronavírus, conhecido popularmente como COVID-19, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) fechou as portas e, durante 5 (cinco) meses, os estudantes se encontraram em situação de inércia, sem aulas ou atividades.


Desde o início de 2020 até então, o DCE Umberto Câmara Neto vem lutando pelos estudantes e combatendo tudo o que fosse prejudicial à comunidade discente da nossa universidade. Até que, em agosto de 2021, depois de muita luta da comunidade estudantil, do DCE UFPE, da UEP Cândido Pinto, do Movimento Correnteza, da União da Juventude Rebelião e demais movimentos e entidades estudantis, começa a vacinação dos jovens em Pernambuco.


Depois de longos meses para se completar o ciclo vacinal, a UFPE se preparava para voltar com força máxima no dia 31 de janeiro de 2022, início do período 2021.2 no calendário acadêmico da universidade. Contudo, com o avanço da variante ômicron devido à parcela da população ainda não vacinada, em decorrência do posicionamento fascista e genocida do movimento antivacina e também à desigualdade presente no sistema capitalista que impede que os países mais pobres avancem na vacinação da sua população (como a República Democrática do Congo e o Haiti, que não ultrapassaram a faixa de 1% da população com o esquema vacinal completo), a UFPE adiou a reabertura para o dia 21 de fevereiro e deu a liberdade para os colegiados dos cursos decidirem se retornariam as atividades no formato presencial, remoto ou híbrido.


Isso foi bastante prejudicial para os estudantes que já estavam se organizando para retornar à universidade. Alguns que moram no interior do estado ou até mesmo em outros estados, foram os mais prejudicados com a incerteza provocada pela reitoria ao descentralizar as decisões sobre o retorno presencial. Mas uma coisa é certa: enquanto Diretório Central dos Estudantes Umberto Câmara Neto da Universidade Federal de Pernambuco nos posicionamos de forma intransigente, afirmando que lugar de estudante é na Universidade! Por isso, lançamos uma nota defendendo a volta presencial de forma segura e garantindo todas as políticas de permanência estudantil necessárias para manter os estudantes dentro dos 3 (três) campi da UFPE (localizados em Recife, Vitória de Santo Antão e Caruaru).


Neste sentido, foi organizado pelo DCE o “Verão no Campus”, atividade presencial para apresentar e reapresentar a universidade aos calouros e veteranos do Campus Recife. Foi distribuído manual do calouro com várias informações sobre a UFPE e, logo em seguida, foi feito um tour pelo campus apresentando os diversos centros e espaços da universidade como os Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA), Centro de Educação (CE), Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH), Centro de Artes e Comunicação (CAC), Restaurante Universitário, Centro de Convenções, Concha Acústica Paulo Freire, etc. Após uma longa caminhada com muitas informações e curiosidades sobre cada centro da Universidade, os estudantes foram até a Concha Acústica para continuar a atividade.


Lá, houve uma apresentação cultural do grupo Coco Raízes do Coque, enchendo o espaço da nossa universidade de uma das mais ricas heranças de matriz africana que é o Coco, que sempre foi símbolo de resistência e de luta pela valorização da nossa cultura e que foi muito bem representado pelo grupo. Após esta apresentação cultural cheia de luta e resistência, foi iniciado um debate sobre resistência e luta dentro da universidade, onde representantes do movimento estudantil e sindical argumentaram sobre a importância da universidade pública, defendendo pautas como o fim do vestibular, a ampliação das políticas de permanência estudantil, uma universidade para todos e, como primeira tarefa para alcançarmos tudo isso, combater ao fascismo e genocídio cometido pelo governo Bolsonaro.


Além de ter sido um momento rico na acolhida aos calouros e elevação da consciência política e social dos nossos estudantes, a atividade ainda promoveu a garantia de direitos importantíssimos para os estudantes: a confecção da carteira de estudante pela União dos Estudantes de Pernambuco, para que os nossos estudantes consigam a meia entrada para acessar a cidade através do transporte público e acessar a cultura e o lazer.


A atividade reafirmou a posição acertada do DCE de defender a volta presencial segura à UFPE com a garantia das políticas de permanência estudantil, além de conscientizar nossos estudantes sobre a importância de defender a universidade contra os diversos ataques à educação que continuam a acontecer neste governo fascista.


Lugar de estudante é na universidade, é na UFPE!


 

João Maranhão - Militante do Movimento Correnteza, da UJR e membro do DCE/UFPE


Comments


bottom of page